Represa de Igaratá

Na década de 60, tinha inicio a construção do lago, represando os afluentes Rio do Peixe e Rio das Cobras com o principal Rio Jaguari. O objetivo era produzir energia para as necessidades de desenvolvimento do Vale do Paraíba. Na época, a cidade ribeirinha de Igaratá, hoje conhecida por velha Igaráta vinha a ser submersa pelas águas do novo lago, obrigando seus moradores, auxiliados pelos orgãos respectivos, a criarem o Nova Igaratá, a 3 km da antiga cidade.

Atualmente o lago é um dos grandes pontos de turismo da região, localizado a aproximadamente 90 km da capital São Paulo, e recebe semanalmente muitos visitantes, alguns mais radicais atrás de aventuras nauticas, outros buscando tranquilidade e paz nas belas paisagens que o lago nos presenteia.

Além de tudo isso, a pesca esportiva desponta no lago, que teve em suas águas, nos anos 70 a introdução dos valentes e briguentos Tucunarés Amarelos (Cichla Kelberi), que desde então tiveram adaptação perfeita e fizeram do local sua casa.

O lago nos últimos anos vem apresentando indicadores bastante positivos em relação a população de Tucunarés e as pescarias bem produtivas, garantido dias bem dinâmicos e divertidos.

Além do Tucunaré Amarelo, existe a possibilidade de capturas de belas Piabanhas e na época adequada a pesca da tilápia, principalmente utilizando equipamento de Fly.

A possibilidade do pescador poder realizar a pescaria e ainda poder estar de volta a sua casa no mesmo dia torna essa opção ainda mais atraente.